Anuncie Aqui Topo 728x90

Após flexibilizar o comércio de Araruama e voltar atrás na decisão, Prefeitura pela segunda vez adota medidas de relaxamento com 32 óbitos confirmados

Fique por dentro das datas e novas regras para funcionamento do comércio e templos religiosos.

Por Redação. em 17/06/2020 às 11:40:14

Após flexibilizar o comércio de Araruama e voltar atrás na decisão, Prefeitura pela segunda vez adota medidas de relaxamento com 32 óbitos confirmados

Num primeiro momento, a prefeita de Araruama, Lívia de Chiquinho (PP), baixou um decreto anunciando a flexibilização do comércio local. Isso aconteceu ainda em meados de abril e no documento alegou que o município tinha demonstrado "eficácia" no combate à Covid-19.

Só que o número de casos só aumentou e no dia 1º de maio a chefe do executivo araruamense voltou atrás na decisão. Agora, diante de um novo decreto, novas medidas de relaxamento estão sendo adotadas nesta quarta-feira (17), mesmo diante do registro de 32 óbitos por causa da doença. São 263 casos confirmados pelo município.

Estão autorizados a retomar as atividades as papelarias, lojas de utilidades, relojoarias, armarinhos, lojas de cama, mesa e banho, lojas de tecidos, lojas de utensílios, lojas de vendas de veículos e concessionárias, lojas de cosméticos e higiene pessoal, lojas de eletrônicos e acessórios, lojas de departamentos, lojas de eletrodomésticos, lojas de móveis, lojas de roupas, lojas de calçados e similares.

Os templos religiosos poderão retornar com os cultos e público reduzido, a partir deste domingo (21). Será necessário um distanciamento de um metro entre os assentos, que deverão estar demarcados para facilitar a acomodação dos fiéis. Ainda será obrigatória a aferição de temperatura na entrada, por meio de um termômetro infravermelho.

Barbearias, salões de beleza e centros de estética poderão funcionar, desde que sejam respeitadas as medidas preventivas de distanciamento e atendimento com hora marcada, assim como o uso de máscaras e a proibição de acompanhantes.

Os estabelecimentos autorizados a funcionar deverão disponibilizar álcool 70 em gel aos consumidores na entrada e fornecê-lo para uso dos funcionários, assim como os equipamentos de proteção individual.

Os supermercados, farmácias e postos de gasolina poderão funcionar no horário normal. Já os restaurantes, limitando o atendimento ao público a 50% da sua capacidade de lotação, com distanciamento de dois metros entre as mesas, e funcionamento somente até às 21 horas. Lojas de roupas, calçados e perfumarias ficam poderão abrir de 13 às 20 horas. Os demais estabelecimentos com autorização de funcionamento terão de encerrar as atividades às 18 horas.

É importante lembrar que, além das igrejas, os estabelecimentos com mais de três funcionários estão sendo obrigados a manter na entrada do recinto um funcionário aferindo a temperatura dos clientes através de termômetro infravermelho.

Os ônibus municipais devem circular com metade da lotação e as janelas destravadas e abertas de modo que haja plena circulação de ar nos coletivos. Os passageiros só podem entrar se estiverem de máscara. As agências bancárias, dos correios e lotéricas funcionarão com até 50% de sua capacidade de atendimento em seu interior por vez, observadas as normas da Vigilância Sanitária de distanciamento, higiene e uso de máscaras.

As feiras livres que têm a comercialização de produtos de gênero alimentício poderão ocorrer, sendo vedada a permanência no local, consumo e aglomerações. Os feirantes precisam manter as barracas com distanciamento mínimo de dois metros, utilizar máscaras de proteção e disponibilizar álcool 70% ao público.

Serviços da área médica, como hospitais, clínicas médicas, consultórios, laboratório de exames e serviços de tratamento na área da saúde em geral podem funcionar de forma irrestrita. Por outro lado, as aulas da rede pública e privada de ensino, incluindo as creches municipais, anexos creches e casas creches, além das unidades de ensino superior, permanecem suspensas até 30 de junho.

Continuam suspensos o funcionamento de bares e quiosques; o funcionamento de academias, centros de ginástica e estabelecimentos similares; o funcionamento de shopping centers, centros comerciais e estabelecimentos similares. O acesso da população continua proibido em praias, lagoas, lagunas,rios, praças, piscinas públicas e clubes.



Fonte: Texto / Fonte: Diário

Comunicar erro

Comentários